Palco Giratório comemora 20 anos com espetáculos em Arcoverde

Cena de Caliban - A Tempestade com a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz (RS).
(Foto: Pedro Isaias Lucas).
Para marcar os 20 anos do projeto Palco Giratório, o Sesc Arcoverde, em parceria com a Associação Estação da Cultura, apresenta dois espetáculos teatrais em Arcoverde, no Sertão pernambucano: um no dia 18 e o outro no dia 25 de novembro.

Neste sábado (18) a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz (RS) volta a Arcoverde - depois do sucesso com o Medeia Vozes (2015) - para apresentar o espetáculo Caliban - A Tempestade de Augusto Boal, com classificação livre.

A encenação será às 20h em frente à Associação Estação da Cultura, no Centro da cidade. A Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz é o grupo homenageado do 20º Palco Giratório Sesc e, com esse espetáculo, está realizando o Circuito Nacional 2017 do Palco Giratório.

Ói Nóis Aqui Traveiz apresenta Caliban. Personagem Caliban simboliza a resistência ao neo-colonialismo.
(Foto: Eugênio Barboza/Divulgação).
O espetáculo - Impulsionada pela ideia de que “somos todos Caliban”, a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz quer, com a encenação, analisar criticamente a “tempestade” conservadora que hoje sofre a América Latina, e especialmente o grande retrocesso nos direitos sociais e na luta pela autonomia econômica, política e cultural que vivemos no Brasil.

A encenação é criada a partir do texto “A Tempestade” de Augusto Boal, escrita pelo autor no exílio, em 1974, período em que os movimentos sociais latino-americanos sofriam uma grande derrota frente ao imperialismo estado-unidense e eram terrivelmente reprimidos pelas ditaduras civil-militares.

Caliban – A Tempestade de Augusto Boal, criação coletiva da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, tem música de Johann Alex de Souza e traz no elenco os atuadores Roberto Corbo, Clélio Cardoso, Paula Carvalho, Keter Atácia, Pascal Berten, Marta Haas, Eugênio Barboza, Tânia Farias, Paulo Flores, Eduardo Arruda, Júlio Kaczam, André de Jesus, Márcio Leandro, Leticia Virtuoso, Mayura Matos, Luana Rocha, Lucas Gheller, Thales Rangel, Dal Vanso, Daniel Steil, Alex Pantera e Jana Farias. Confira um trecho de Caliban no video postado pela Tribo em seu canal no YouTube.


A Tribo - A Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz surgiu em 1978, durante mais de três décadas construiu uma trajetória que marcou definitivamente a paisagem cultural do Brasil. Com a iniciativa de subverter a estrutura das salas de espetáculos e o ímpeto de levar o teatro para a rua, abriu novas perspectivas na tradicional performance cênica do sul do país . A determinação em experimentar novas linguagens a fez seguir caminhos nunca trilhados por aqui.

A organização da Tribo é baseada no trabalho coletivo, tanto na produção das atividades teatrais, como na manutenção do espaço. Para a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz o teatro é instrumento de desvelamento e análise da realidade; a sua função é social: contribuir para o conhecimento dos homens e o aprimoramento da sua condição.

Cena do espetáculo "O Quadro de Todos Juntos" que será apresentado em Arcoverde no dia 25 de novembro.
(Foto: Guto Muniz).
Outro espetáculo - Já no dia 25 de novembro será encenado o espetáculo O Quadro de Todos Juntos, do grupo Pigmalião Escultura que Mexe, de Belo Horizonte (MG). Esta apresentação será no Teatro Geraldo Barros, a partir das 20h, com classificação indicativa para 18 anos e entrada gratuita.

O Quadro de Todos Juntos - Uma família posa para um retrato. O instante de um flash revela além da superficialidade. Mostra a frágil estrutura por trás dessa imagem perfeita. Segredos postos ao chão. Suspensão do tempo. Cada um de seus integrantes expõe seus mais íntimos e secretos desejos. Todos são espelhos. Todos juntos. Um encontro de família em que a realidade, o simulacro e o delírio confrontam-se em um quadro mais que verdadeiro.

O espetáculo tem autoria de Eduardo Felix e direção dele com Igor Godinho. A criação de bonecos é de Eduardo Felix e a construção de bonecos, cenografia e adereços é de Aurora Majnoni, Cora Rufino, Diogo Netto, Eduardo Felix, Igor Godinho, Leonardo Martins, Liz Schrickte, Michelle Campos, Mauro Carvalho, Mariana Teixeira, Hugo Honorato, Douglas Pêgo e Camila Polatscheck.

No elenco estão Aurora Majnoni, Cora Rufino, Eduardo Felix, Liz Schrickte, Mauro Carvalho, Mariana Teixeira e Marina Arthuzzi. Os figurinos são de Maria do Céu Viana e a iluminação é de Igor Godinho.

História do grupo - O Pigmalião Escultura Que Mexe é um coletivo de artistas que encontrou no teatro de bonecos o veículo ideal para desenvolver trabalhos no limite entre as Artes Cênicas e as Artes Plásticas.

Criado em 2007, o grupo sempre procurou desenvolver espetáculos com profundidade conceitual e filosófica. A marionete de fios, a relação do ator com o boneco e o Teatro Visual são seus principais focos. Na construção contínua de sua identidade, o Pigmalião busca o reconhecimento do teatro de bonecos na produção artística contemporânea.

"O Quadro de Todos Juntos" será no Teatro Geraldo Barros e tem classificação indicativa para 18 anos.
(Foto: Guto Muniz).
Serviço - 20 anos do Palco Giratório (Arcoverde-PE):

Espetáculo Caliban - A Tempestade de Augusto Boal, Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz (RS)
- 18/11/2017 - 20h - Gratuito
Em frente a Associação Estação da Cultura
Classificação: livre

Espetáculo O Quadro de Todos Juntos, Grupo Pigmalião Escultura que Mexe (MG)
- 25/11/2017 - 20h - Gratuito
Teatro Geraldo Barros - Sesc Arcoverde
Classificação: 18 anos

Conteúdo Exclusivo - De 1ª Categoria, com informações da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz e do grupo Pigmalião Escultura Que Mexe.
(Ao copiar informações daqui, favor inserir os créditos).

Nenhum comentário

De 1ª Categoria - O Seu Melhor Programa, com Zalxijoane Lins . Tecnologia do Blogger.