Representantes do movimento cultural de Arcoverde em ato no teatro municipal: "Isso não é uma inauguração"!


"Isso não é uma inauguração"! Com essa frase as atrizes e os atores encerraram a performance (foto acima) - trecho de Morte e Vida Severina (João Cabral de Melo Neto, de 1955) - que iniciou o abrIR - Primeiro Ato. O movimento, que aconteceu na sexta-feira (14), foi idealizado por integrantes da Sociedade Teatral de Arcoverde (Sotear) e outros representantes do movimento cultural do município, com o objetivo de que o teatro municipal de Arcoverde seja finalmente concluído e entregue - de fato - aos artistas arcoverdenses.

Performance teatral com atrizes e atores arcoverdenses - Morte e Vida Severina. (Foto: PJ Torres/Portal Xis Club!).

Performance teatral com atrizes e atores arcoverdenses - Morte e Vida Severina. (Foto: PJ Torres/Portal Xis Club!).
A performance inicial contou com integrantes do Teatro de Retalhos, da Tropa do Balacobaco, do grupo de teatro Pé de Vento e de artistas independentes. Cada um dos 16 atores usou figurino próprio, utilizado em espetáculos dos seus grupos e solos. Ao final da performance, os grupos distribuíram pão e vinho entre os presentes.

O rapper arcoverdense Laranjão durante o abrIR. (Foto: PJ Torres/Portal Xis Club!).

Apresentação do Sertão Maracatu. (Foto: PJ Torres/Portal Xis Club!).
Na sequência houve apresentações do rapper Laranjão, do Sertão Maracatu, do Afoxé Tambores de Oxalá e do Boi Milagroso. Também aconteceu uma leitura dramatizada - Poema com Benedita - com Gabriel Cavalcanti, um dueto musical com Tocha Ribeiro e Carol Viana e uma performance musical com Macvanny Oliveira. 

Apresentação do Afoxé Tambores de Oxalá. (Foto: PJ Torres/Portal Xis Club!).

Apresentação do Boi Milagroso. (Foto: PJ Torres/Portal Xis Club!).
Dezenas de pessoas estiveram presentes durante o abrIR. O teatro, como já é sabido por todos, não está pronto. Por isso, a falta de acústica prejudicou - e muito - a beleza e a qualidade das apresentações e performances. Um 'barulho' desconfortável deu lugar ao belo som que foi produzido naquele momento pelos artistas. Representantes do governo municipal e da secretaria de Cultura e Comunicação também estiveram presentes durante o ato.

Falta muito para a conclusão - e inauguração - do teatro municipal de Arcoverde. O palco, o teto, o piso, as coxias, o mezanino, os camarins, a sala de ensaio, os banheiros... NADA na estrutura está pronto.

A nossa equipe teve acesso ao espaço onde devem ser construídos os camarins e constatou dezenas de folhas de espuma acústica que não servem mais para uso, já que estão mofadas e virando pó, emplilhadas há vários anos. Portas largas de madeira pura, no chão - com a madeira fofa - também não servem mais para uso. Vasos sanitários que nunca foram assentados no lugar, quebrados, entre tantos outros materiais que estavam lá, prontos para serem utilizados, mas que nunca saíram das caixas.

Saímos de lá com um sentimento: o movimento cultural de Arcoverde deve - e já começou - mostrar e unificar a sua força a partir de agora. Afinal, aquele espaço foi pensado e erguido para os artistas de Arcoverde que seguem numa longa espera, contando, neste ano de 2017, três décadas.

Secult - A Secretaria de Cultura e Comunicação de Arcoverde, comandada pela jornalista Teresa Padilha, está apoiando o movimento dos artistas desde o início das discussões para o ato no teatro municipal. Segundo a secretária, a pasta está num momento de discussão com o movimento cultural, junto com a consultora do Centro Luis Freire, Érica Nascimento, que está auxiliando nesse processo de implantação do Sistema Municipal de Cultura e - em paralelo - a elaboração do Plano Plurianual. "Tudo vai sair alinhado por conta desse debate que estamos tendo com o movimento artístico de Arcoverde", explicou Teresa à nossa reportagem.

Reação - Em seu perfil no Instagram, a Tropa do Balacobaco postou a foto abaixo com uma mensagem de esclarecimento sobre a posição do movimento cultural de Arcoverde quanto ao descaso (30 anos de espera) com o teatro municipal. "Lutamos crentes que ainda a arte pode salvar (...) Nunca descansamos, nossa maior arma é nossa arte", diz um trecho. Confira a íntegra do texto:

Atrizes e atores - integrantes da Sotear - postaram texto no Instagram onde falam sobre o abrIR e a posição do movimento cultural. (Foto: Reprodução Instagram/Tropa do Balacobaco).
"Neste final de semana, o movimento cultural da cidade Arcoverde, reafirmou seu posicionamento diante do descaso com o nosso Teatro Municipal, foram/são 30 anos de uma luta incessante... Somos tantos, somos indivíduos, somos cidadãos que votam e acreditam na democracia e responsabilidade de nossos votos! 

Somos artistas Brasileir@s e lutamos contra o golpe diário do poder governamental seja ele local, estadual, ou nacional.

Lutamos crentes que ainda a arte pode salvar. Foram dois dias de demonstração pública da consciência politizada de cada um que se fez presente. Hoje mais fortes que ontem, estamos nós dando um passo por vez e gritando aos quatro ventos que nunca descansamos, nossa maior arma é nossa arte. Gratidão a todos e todas pelos 14 e 15 de Julho de 2017.

Gratidão pela arte diária de vocês. Estamos junt@s. SOTEAR dessa década, acreditamos nessa história, nesse nome e nessa força".

Leia mais:
AbrIR - 1º Ato: Artistas da Sotear realizam apresentações no Teatro Municipal de Arcoverde

Confira todas as fotos do abrIR - Primeiro Ato no Portal Xis Club!

Por Zalxijoane Lins.
Fotos: PJ Torres (Portal Xis Club!) e Tropa do Balacobaco.
(Ao copiar informações daqui, favor inserir os créditos).

Nenhum comentário

De 1ª Categoria - O Seu Melhor Programa, com Zalxijoane Lins . Tecnologia do Blogger.